Joelma e Chimbinha assinam divórcio no Recife; Saiba mais

Os artistas Joelma e Chimbinha assinaram a papelada do divórcio, na manhã desta segunda-feira (9), na 10ª Vara da Família, que fica no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, em Joana Bezerra, região central do Recife.A escolha da cidade foi feita para facilitar questões administrativas, já que a sede da Banda Calypso fica no Recife. O processo corre em segredo de justiça.
Joelma-e-Chimbinha-assinam-divórcio
Pouco antes das 10h, os dois artistas saíram do Fórum. Joelma não quis conversar com a imprensa. Ela saiu da sala sorrindo e fez apenas um gesto para o alto com as duas mãos, como se estivesse agradecendo a Deus.
Falando baixo, usando óculos escuros e boné, Chimbinha desejou sucesso à ex-companheira e explicou que a papelada foi assinada, mas falta tratar da partilha dos bens. “É vida que segue. Eu desejo muito sucesso a ela”, disse o guitarrista. “Nossa carreira começou aqui e está recomeçando também. Não é o divórcio que vai me fazer parar. Agora vou recomeçar e espero o apoio de todos os fãs”, afirmou.
Chimbinha chegou ao local por volta das 8h30 e Joelma, às 8h50. Policiais isolaram a frente da 10ª Vara. Chimbinha chegou acompanhado de um advogado e de um produtor musical. Já Joelma entrou pela garagem dos magistrados e apareceu na entrada da 10ª Vara sorrindo, cercada de seguranças, vestida de branco, maquiada e aparentemente confiante.
Chimbinha e Joelma foram casados por dezoito anos. Trabalhavam juntos à frente da banda Calypso, que fez fama no Brasil inteiro com o ritmo dançante. Agora, os dois vão seguir com trabalhos independentes. O casal tem apenas uma filha, Yasmim, de 11 anos. A guarda da menina ainda vai ser definida segundo o músico. Além dela, Joelma tem mais dois filhos de outro relacionamento. O uso da marca ‘Banda Calypso’ também vai ser definido na Justiça, uma vez que ela está registrada como JC Shows, em que Joelma é sócia majoritária com 60% das ações. A JC Locações, responsável pelos contratos de shows e funcionários, tem ações divididas igualmente entre os dois. O processo inclui ainda imóveis em Pernambuco e no Pará.
FONTE: CHINA CDS
Compartilhar no Google Plus
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial