Ícone do Samba, Dona Ivone Lara, morre aos 97 anos!

O mundo do samba amanheceu mais triste com o falecimento da cantora

Cantora, compositora e grande dama do samba, essa era Dona Ivone Lara, que desde muito nova já tinha a música o samba nas veias, e com seu jeito único arrastava multidões e abriu os caminhos para um legado feminino no samba. E na noite da última segunda-feira (16) o samba ficou mais triste com a morte da dama do samba, que faleceu na Coordenação de Emergência Regional (CER), no Leblon, Zona Sul do Rio.

(Reprodução/Divulgação)

A sambista estava internada desde a última sexta-feira (13) - dia que completou 97 anos de idade - quando passou mal e deu entrara no hospital com um quadro de anemia. A cantora de voz intensa e que carregava o samba na alma teve uma piora no quadro, não resistiu e acabou falecendo devido a uma parada cardiorrespiratória.

Abalado com a morte da mãe, Alfredo Lara da Costa, de 67 anos, falou com tristeza com a perda da mãe, mas também lembrou do grande legado deixado pela mãe, que fez história no samba. "Minha mãe foi uma mulher valente e corajosa. Nos passou muita coisa boa e, graças a Deus, deixou uma obra maravilhosa. Todos gostavam dela - disse Alfredo, que, emocionado, acrescentou: - Ela viveu muito bem. No princípio, a vida da minha mãe foi sacrifício. Mas tinha a música, era o que mais gostava. Ela foi muito feliz. Eu tenho muito orgulho. A família está sofrendo muito. Mas ela ela foi com uma certa idade. Faz muita falta. Mas só fez o bem. O legado dela fica para sempre.", revelou ele.
Pioneira como compositora no samba, Dona Ivone Lara, ainda jovem desafiava o mundo do samba que era dominado pelos homens com sua bela voz e suas composições que embalavam todo um povo. Quando adolescente, a sambista escrevia os sambas que eram assinados por seu primo, para que ele fosse aceito nas escolas. Com uma voz única, e letras que mais pareciam poemas, Dona Ivone Lara deixa um legado gigantesco na música brasileira que jamais será esquecido.
Dona Ivone Lara será velada nesta terça-feira (17) na quadra do Império Serrano, em Madureira, na Zona Norte do Rio. E, segundo a família, o sepultamento acontecerá no cemitério de Inhaúma na parte da tarde.

FONTE: SUA MUSICA
Compartilhar no Google Plus
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial